Clique aqui para fazer o download.

Time do Bem
x
Time do Mal



Características do candidato do Time do Bem


1 - Altruístas e trabalhadores voluntários, que trabalham com filantropia.
2 - Criadores de Organizações Não Governamentais, que trabalham para o bem do próximo sem visar a lucros financeiros exclusivamente para si.
3 - Educadores, que sabem “como fazer” e alunos mais dinâmicos de cada escola dos 5.564 municípios.
4 - Médicos espiritualmente esclarecidos, que orientam os pacientes a cuidarem da saúde psíquica.
5 - Empresários, que possuem visão solidária e executivos conhecedores das mais diversas áreas da vida.
6 - Diretores de associações do setor produtivo, que possuem prontas as diretrizes para um bom funcionamento dos sistemas político, econômico e social.
7 - Mulheres líderes comunitárias candidatas aos cargos públicos que se excluem do time do mal.
8 - Atletas, que são solidários com o menos favorecido, pois a maioria emergiu dessa classe.
9 - Artistas que, podendo atuar na política, serão capazes de estenderem seus nobres sentimentos a toda a população.
10 - Apresentadores e comunicadores da televisão e do rádio, que possuem coragem para disseminar a ideia de um sistema político, como o da Democracia do Povo.

Características do candidato do Time do Mal


1 - Não exemplifica de que forma e que com recursos serão realizados os projetos e programas. Não quer se comprometer dizendo que fará o que diz que precisa ser feito.
2 - Mostra-se sensibilizado com a precária situação dos mais pobres somente com o intuito de se eleger. É daqueles que faz questão de pegar as criancinhas no colo. É oportunista.
3 - Não elabora projetos para o investimento em obras de infraestrutura, como o saneamento básico.
4 - Se apoia nas falsas justificativas dos que moram em lugares insalubres e inadequados, e por isso nada faz.
5 - Seus pronunciamentos são prolixos Não possui a objetividade que o cargo público exige.
6 - Se baseia em estatísticas, somente as transmitindo, dando a impressão de que está dizendo que resolverá os problemas relacionados aos números divulgados, iludindo o eleitor, pois tem conhecimento de que o sistema político atual não oferece flexibilidade.
7 - Durante o mandato diz não ter tempo para fazer tudo o que prometeu.
8 - Antes de se eleger era considerado candidato do Time do Bem, mas depois de eleito ficou conivente com o sistema político atual e nada fez para reformá-lo. Não merece segunda chance, pois acomodou-se com a posição privilegiada.
9 - Critica mandatos anteriores. Está inserido no mesmo nível de inferioridade de seus antecessores.
10 – Faz discurso do ódio, da intolerância e do desrespeito ao semelhante. Ao ser eleito tratará o eleitor do mesmo modo que considera os seus adversários políticos. Possui características tidas como “não éticas”, como a crueldade e hipocrisia visando, sobretudo, a conquista do poder a qualquer custo.



XXXXXTIME DO BEM

Titulares:
1 – Ditador
2 - Conservador
3 - Preconceito
4 – Corrupto
5 – Interesse Próprio
6 - Desonesto
7 – Conluio
8 – Injusto
9 – Oportunista
10 - Privilégio
11 - Descaso

Suplentes:
12 – Torcedor
13 – Confiança
14 – Independência
15 – Liberdade
16 - Mérito
17 – Fiel

Técnico:
Plebiscito

Auxiliar Técnico:
Voto Facultativo

xXXXXXTIME DO MAL

Titulares:
1 – Ditador
2 - Conservador
3 - Preconceito
4 – Corrupto
5 – Interesse Próprio
6 - Desonesto
7 – Conluio
8 – Injusto
9 – Oportunista
10 - Privilégio
11 - Descaso

Suplentes:
12 – Crítico Destrutível
13 – Inconfiável
14 – Parcial
15 – Politiqueiro
16 - Explorador
17 – Traíra

Técnico:
Parlamento

Auxiliar Técnico:
Voto Obrigatório


Árbitros “sorteados” para a grande decisão:
Extorquido e seus dois Coniventes



Vai começar o extraordinário espetáculo!

No primeiro minuto de jogo, o camisa 9 Oportunista, do Time do Mal, percebe o Time do Bem desatento e faz um gol impedido, mas validado pelo Extorquido.

O centroavante Oportunidade, do Time do Bem, é derrubado escandalosamente dentro da área pelo Preconceito e o juiz nada marca.

Novo pênalti, desta vez, marcado pelo Extorquido. Honesto se prepara para bater. Faz o gol, mas Extorquido, sem dar nenhuma explicação, manda bater de novo. Ditador se adianta antes da cobrança da penalidade e defende. Extorquido autoriza a continuidade do jogo. Os componentes do Time do Bem o cercam, reivindicam, mas nada conseguem.

Injusto dá um carrinho no camisa 8. Justo levanta, reclama e, por essa razão, recebe cartão vermelho.

Transparente, em jogada legal, fica sozinho na área, faz o gol, mas um dos Coniventes levanta a bandeira marcando impedimento.

O jogo é paralisado por diversas vezes, mas Extorquido não dá acréscimo de tempo nos primeiros 45 minutos.

Começa o segundo tempo e o Equilíbrio do Time do Bem é expulso do jogo.
Após três minutos de jogo, Privilégio faz um gol em posição duvidosa para o Time do Mal. 2 a 0 para o “mandante do jogo”.

Extorquido usa uma artimanha para não deixar o Time do Bem atuar, marcando diversas infrações e o seu Conivente marcando impedimento.

O tempo passa e com muita garra de todo o time, União faz um gol aos 35 minutos. 2 a 1.

O Time do Bem “massacra” o adversário com “boas jogadas” e, finalmente, Igualdade empata o jogo, aos 40 minutos. 2 a 2.

O empate favorece injustamente o Time do Mal, ao recebimento do “título” de campeão.

O camisa 7 Conluio do Time do Mal, conversa disfarçadamente com o Extorquido. Por perto, Corrupto, Interesse Próprio e o Desonesto, todos com a mão na boca, reforçam a intimidação feita ao Extorquido exigindo que cumpra com o “acordo”. Plebiscito, desconfiando há tempos do técnico adversário Parlamento em sempre usar essa pressão, faz a primeira substituição, entrando o camisa 14, Independência.

Falta um minuto para terminar o jogo e o Time do Bem vai todo para o ataque. Independência é derrubado na área pelo Ditador, o qual diz ao Extorquido que a falta foi cavada, sem acordo, imediatamente, as luzes do estádio se apagam.

Depois de 20 minutos, a situação se normaliza e a imensa torcida fica à espera da decisão do Extorquido.

O Time do Bem, outra vez, muito inconformado pressiona, de todas as formas, o Extorquido, para que faça justiça, uma única vez. Extorquido, sensibilizado, consulta seus Coniventes e resolve marcar o pênalti.

Plebiscito escolhe quem vai bater o pênalti. Chama todos do Time do Bem e por unanimidade, optam por aquele que sempre esteve presente nas vitórias, nas derrotas e em todas as lutas travadas pelo seu time: Torcedor.

Pela primeira vez na história, Torcedor, com o apoio do Plebiscito poderá decidir.

Torcedor, anteriormente, já treinou várias “cobranças”.

Torcedor “entra em campo”.

Torcedor corre à frente.

Talvez o Time do Mal nada mais poderá fazer para impedir a vitória do Time do Bem.

Agora, só depende do Time do Bem!

Torcedor dará a vitória para o Time do Bem?

Sim ou não?

Você, E. Leitor decidirá nas urnas!



Homenagem ao Time do Bem


Em pouco mais de 48 horas enquanto fiquei hospitalizado, foi tempo suficiente para que eu pudesse verificar o quanto o Brasil é servido por indivíduos generosos. Quanto desprendimento de dezenas de profissionais que estiveram à minha disposição. Quanto carinho e dedicação. Médicos, enfermeiros, cozinheiros, faxineiros e demais funcionários, mais preocupados com o próximo do que consigo mesmos.

Vi, no semblante de cada um, o cansaço causado pelo trabalho extenuante de final de turno. Pessoas que dão tudo de si para fazer com que o outro se sinta bem, sacrificando-se para levar o sustento para seus lares. Percebi o esforço que fazem para tentar amenizar as dores dos pacientes, não deixando transparecer as suas próprias dores. O desespero e a irritabilidade de alguns enfermos não são motivos de descontrole para esses abnegados, que possuem o sentimento de compreensão e o profissionalismo, como atenuantes de discussões.

Sabem ser amigos para dar uma palavra de apoio, educadores e orientadores quando a situação exige ordem. Não fazem distinção de raça, de sexo, de idade, nem de credo ou de classe social. Sentem-se frustrados, quando não conseguem salvar uma vida, mas realizados quando saímos restabelecidos. Correm risco de serem contagiados, por via física ou psíquica, mas nos contagiam com o seu amor.

Estive pensando, durante esses dois dias, que, se, no Congresso Nacional, lá eles estivessem, a vida seria mais respeitada. Em seguida, pensei que, se conseguíssemos reunir, em todo o país, pessoas com esse perfil, dispostas a se candidatarem e não apenas votarem ou somente apoiarem políticos conservadores e tradicionais, para serem eleitos, como deputados, poderíamos reformar o sistema político para que fosse possível introduzir um regime de governo que fizesse com que o eleitor votasse em “programas de governo” e não somente em candidatos. Para alcançarmos esse objetivo, contaríamos com pessoas altruístas que existem em todas as áreas mercantis, sociais e esportivas, e formaríamos o Time do Bem, composto por artistas, atletas, empreendedores, funcionários, diretores e membros de ONGs e de instituições filantrópicas, líderes comunitários, educadores, médicos, enfermeiros, dirigentes e voluntários de associações beneficentes e principalmente aqueles que estão de posse do “microfone” e da “redação”. Todas as ações que estes empreendem em favor do menos favorecido, embora isoladas, têm muito mais valor do que aquelas feitas pelos que se dizem representantes do povo. Bastaria que se colocassem nos lugares destes que teríamos em nosso país uma população socioeconômica equilibrada e repleta de realizações fazendo jus aos dizeres de sua bandeira.

Kennedy – personagem do livro Invista agora em sua vida após a morte.