-- Acesse os sites correlacionados


PLACNEW

Placas comemorativas
Placas de sinalização
Troféus & Medalhas

AUTOEMPREGO
A EMPRESA É VOCÊ!













Debate, Opinião e Ação

Para que essa matéria seja compreendida satisfatoriamente é necessário que o leitor tenha, em mãos, a revista Democracia do Povo.

Segundo o Dicio – Dicionário Online de Português - www.dicio.com.br debate é: Ação de discutir uma questão; Discussão em que se apresenta os prós e contras de alguma coisa. Análise sobre um tema, assunto, proposta ou problema, que se realiza geralmente em grupo ou em conjunto: debate sobre o racismo nas escolas. Defesa de uma ideologia; discussão acalorada; contenda ou altercação.

Opinião é: Modo de pensar; aquilo que se pensa em relação a; julgamento ou ponto de vista. Demonstração de um pensamento pessoal em relação a; avaliação. O que se diz sem comprovação, fundamento ou confirmação: sua opinião não comprova os fatos. Ponto de vista regulamentado; juízo formado sobre; conceito. Pensamento comum; senso habitual de um grupo de pessoas. Juízo sobre: não se deve dar uma opinião sem saber o assunto.

Ação é : Resultado do fato de agir; tudo aquilo que se faz.


No sistema de governo Democracia do Povo, debate não é "bate boca", discussão, discutir para entrar em consenso, ato muito usual nessa democracia arcaica. Em tempos remotos esses procedimentos funcionavam, pois os interesses da população não eram tão diversos como os de hoje. Não é emitir cada um a sua opinião, sem fundamento. Debate é apuração de dados (elemento ou quantidade conhecida que serve de base à solução de um problema, segundo o mesmo dicionário). Debate é a averiguação disciplinada de informações e fatos concretos e potencialmente verdadeiros, através de pesquisa e ou de informações fornecidas por pessoas que vivenciaram os temas em questão.

Para que a opinião seja proveitosa, a pessoa poderá expressar a sua, com outras pessoas, conhecedoras do tema em questão, baseada na conclusão desse novo modelo de debate (apuração de dados) com a finalidade de apurar se elas são coerentes ou procedentes. Mais do que isso, as pessoas estarão "jogando conversa fora", possivelmente fazendo um juízo equivocado sobre o tema não analisado por elas e não levando ninguém a lugar algum. É útil apenas como "passa tempo" e divertimento e ainda emitida no sentido de provocação, insulto, preconceito, vaidade, fanatismo e outros sentimentos negativos como a inveja. Com frequência, visto em programas de rádio e televisão na área dos esportes, especialmente na do futebol. É muito comum de se verificar a confusão que algumas pessoas fazem com os termos debate e opinião. Na televisão, na escola, na família, nas rodas de amigos e nos parlamentos, cada um emite a sua opinião, normalmente, de acordo com os últimos significados descritos do Dicio sobre debate: Defesa de uma ideologia; discussão acalorada; contenda ou altercação (polêmica). Essa é decididamente a causa determinante que faz com que se discuta um tema por décadas e nunca se chega a nenhuma conclusão ou solução para os problemas discutidos. Na Democracia do Povo é diferente: a opinião é emitida e listada baseada na apuração de dados (debate) e na coleta de informações isentas de julgamentos, apresentadas por pessoas comprovadamente estudiosas e conhecedoras do tema em questão.

Debate e e opinião devem ser realizados com a finalidade de que surjam ideias potencialmente capazes de resolver impasses; aplicar ajustes e alterações; corrigir erros; promover reformas nos processos, sistemas, modelos, métodos, leis e programas já existentes e a serem implantados, nas variadas atividades humanas, quando se pretende realizar algo que funcione eficientemente. Porém a sequência desse modelo: debate, opinião e ação, da Democracia do Povo poderá também partir de uma ou mais ideias. Desta forma, uma suposta boa ideia ou uma aparente má ideia, não ficará no papel sendo discutida, com cada um dando a sua opinião e nada realizando e deixando de colocar em funcionamento (ação).

Abaixo, por meio de INSERÇÕES, apresentam-se modelos de debate, opinião e ação disciplinados e altamente civilizados, que através dos quais existem grandes possibilidades de surgirem ideias, nas linhas da justiça, do equilíbrio e da lógica, e que poderão ser transformadas em projetos, e, desta forma, o eleitor poder votar no que atender as melhorias da qualidade de vida individual e coletiva, determinando as ações a serem tomadas pelo poder público e também por ele próprio ou por um grupo de pessoas.

A Democracia do Povo trata os governantes, como gestores, porém no sentido literal do termo, "gestor" ( Indivíduo responsável pela administração e pelo gerenciamento dos bens ou dos negócios que pertencem a outra pessoa, empresa ou instituição).Ou seja, a função do gestor: prefeito, governador e presidente da república é a de executar e gerenciar aquilo que a maioria determinar, por intermédio de Plebiscitos.

Somente após a conclusão e definição dos debates e das opiniões sobre um determinado tema, todos os participantes poderão emitir opinião amistosamente, até para que se descontraiam do desgaste provocado por esse processo, porém, sem comprometimento, aleatoriamente, mas, ainda, com grande chance de surgirem outras ideias, as quais poderão ser submetidas à nova sequência do debate, opinião e ação e possivelmente encaixadas no projeto em questão ou reservadas para outros diferentes temas.

A sequência debate, opinião e ação deve, sempre que for possível, ser realizada virtualmente, com cada um do grupo formando a sua sequência, até mesmo com um tomando como base a sequência de outros ou formando-a através da mescla de todos. Isso, para que se aproveite de forma inteligente a tecnologia disponível da atualidade e que se possa se libertar das "arenas" onde aconteciam as contendas pré-históricas.

Todos os projetos da Democracia do Povo foram idealizados através desse método debate, opinião e ação, e Zaad Serotua escreveu, ou melhor, escreveram o livro Invista agora em sua vida após a morte estando os seus personagens, cada um, ou cada pequeno grupo, em um local



1ª INSERÇÃO – Projeto em âmbito municipal.


Mobilidade Urbana

 

DEBATE:

1 - A indústria automobilística brasileira gera cerca de 1,5 milhão de empregos diretos e indiretos.
2 - A carga tributária sobre a produção e comercialização de carros, os tributos com licenciamento e abastecimento de combustível, o IPVA, o ICMS, os impostos sobre reparo e manutenção de veículos e as multas somaram, em 2011, 90 bilhões de reais em impostos.
3 - Mais de 2 milhões de motoristas afirmam usar o transporte individual todos os dias da semana na capital paulista.
4 - A cidade de São Paulo oferece pouco mais de 500.000 vagas em estacionamentos privados, segundo cálculos do Sindepark.
5 - Uma pesquisa da EY Consultoria mostra que existem vagas de estacionamento nas ruas do centro expandido de São Paulo para 384 mil carros dos 509 mil que vão para a região.
6 - Um carro estacionado na rua é uma forma de usar o espaço público para fins privados. E esse não é um direito do cidadão.
7 - Dos 6,3 milhões de veículos que circulam na cidade de São Paulo, 3,7 milhões são de carros velhos (mais de 10 anos de uso).
8 - O transporte coletivo movimenta 9 milhões de passageiros por dia, que custa aos cofres da prefeitura de São Paulo 9 bilhões de reais por ano.
9 - São Paulo têm cerca de 15 mil ônibus para transporte público de passageiros.
10 - A Lei 12.587, que institui a Política Nacional de Mobilidade Urbana, prevê expressamente que o transporte coletivo deve ter prioridade sobre o individual motorizado. A Constituição Federal o define como um serviço essencial.
11 – São Paulo construiu menos de dois quilômetros de linhas de metrô por ano até 2017.
12 – O custo médio por quilômetro de linhas de metrô com as estações é de 400 milhões de reais.
13 – Com o valor de cada quilômetro de linhas de Metrô daria para adquirir cerca de 1.500 Micro ônibus zero quilômetro.
14 - O vale transporte é um benefício obrigatório instituído pela Lei nº 7.418/85, onde o empregador deve fornecer ao empregado, para a utilização com despesas de deslocamento da residência/trabalho/residência, através do sistema de transporte coletivo.
15 - Os poluentes atmosféricos foram a causa de 11.200 mortes precoces no estado de São Paulo, em 2015. Número maior que as 7.867 mortes causadas por acidentes de trânsito.



OPINIÃO:

1 - O transporte individual (carro e moto) gera empregos e arrecadação de impostos. É mantido com a renda do usuário.
2 - O transporte coletivo (ônibus) gera menos empregos. É mantido pelo usuário que tem que pagar a sua passagem e pelo dinheiro dos impostos que todos pagam, inclusive os usuários do transporte individual que pouco ou nunca utilizam o transporte coletivo. Mantido também pelas empresas que geram empregos e são obrigadas por lei a pagar parte do valor da passagem de seus funcionários, onerando os custos de seus produtos e serviços, fazendo com que o próprio usuário de ônibus e do carro e moto paguem parte desse ônus ao consumi-los.
3 - Não consegui encontrar matéria de debate e dados que avaliam a quantidade de motoristas em que a sua ferramenta de trabalho é o carro e moto e por isso, transporta mercadorias e objetos, que não poderia transportar no ônibus, bem como a quantidade de viagens que muitos fazem com o carro e moto, que se fossem pagar várias passagens de ônibus o gasto seria maior que o gasto com combustível. O tempo de espera para a chegada dos ônibus, provavelmente seria maior do que a espera com o carro parado nos eventuais congestionamentos. Há que se levar em consideração também, que os motoristas que conhecem as vias alternativas da cidade, conseguem evitar a maioria dos congestionamentos. Os ônibus, apesar de terem corredores prioritários não podem escapar dos constantes congestionamentos nos horários de pico.


AÇÃO (DESENVOLVIMENTO DE IDEIAS PARA A TRANSFORMAÇÃO EM PROJETO DE MOBILIDADE URBANA):


1 - Para que, o que diz o item 15 do debate seja amenizado poder-se-ia exagerar o que prevê a Lei 12.587, que institui a Política Nacional de Mobilidade Urbana, retirando-se todos os carros de circulação na cidade de São Paulo; não mais fabricando automóveis fechando todas as montadoras; indústrias e comércios de peças, acessórios e sucatas; postos de combustíveis; concessionárias e oficinas mecânicas; autoescolas; estacionamentos; companhias de seguros; Detran; CET; outros órgãos do trânsito; e a indústria das multas, e colocando-se ônibus em quantidade suficiente para transportar, além dos costumeiros passageiros, todos os motoristas de carros pelos mais de 17.000 quilômetros de vias. Desta forma não teriam mais ladrões de carros e flanelinhas, não teriam mais acidentes de trânsito, os ex-motoristas, agora passageiros poderiam se alcoolizar com maior frequência, teria menos poluição... Porém essa ideia, não parece justa e nem lógica, pois os itens 1 e 2 do debate seriam seriamente prejudicados.

2 - Uma ideia polêmica, impopular, porém justa e lógica poderá surgir através da análise dos itens 5 e 6 do debate, que é a proibição do estacionamento em todas as ruas e avenidas da cidade. Essa medida contribuiria com a geração de empregos, renda e impostos, através do aumento considerável no número de vagas em estacionamentos privados mencionado no item 4 do debate.

3 - Essa ideia sendo colocada em pratica proporcionaria a utilização de espaços para o trânsito de ônibus e bicicletas. Mas, em vias de mão dupla, mesmo com esses espaços desocupados, não comportariam as faixas de ônibus e ciclovias.

4 - Então surge uma outra ideia, que é a de implantar sentido único de direção em todas as ruas da cidade. Essa ideia sendo colocada em pratica seria possível começar a pensar, fazendo-se algumas contas, em alargar, por exemplo, os 34.000 quilômetros lineares de calçadas da cidade de São Paulo, para atender as necessidades de locomoção de pedestres e até incentivando-os a se locomoverem a pé.

5 - Portanto, em uma via de mão dupla com 10,5 metros de largura e com carros estacionados dos dois lados das calçadas, somente é possível transitar um carro em cada sentido de direção dessa via.

6 - Na mesma via, agora em sentido único de direção, será possível alargar as calçadas em mais 1,2 metros cada uma, implantar faixa de ônibus do lado direito, ciclovia do lado esquerdo e entre essas o trânsito de carros e motos, como na rua padronizada, tipo 2 demonstrada na revista Democracia do Povo. Atendendo plenamente as cinco modalidades de transporte de pessoas.

7 - Nas ruas que são verdadeiros centros comerciais, como as ruas 25 de março, Santa Ifigênia, Florêncio de Abreu e ruas circundantes, inclusive as ruas predominantemente comerciais de todos os bairros de São Paulo, por exemplo, para que se limite a circulação de veículos automotores e as pessoas possam caminhar como se estivessem em shoppings, surge uma ideia, já a bastante tempo defendida e combatida, que é a construção de calçadões. Essa ideia, dependendo da opinião particular de cada gestor público, poderá demorar diversos mandatos para ser implantada, ou até mesmo nunca... Sendo votada pelo eleitor, projetos inteligentes e viáveis, essa e outras ideias de mobilidade urbana poderão ser adotadas imediatamente, a menos que a maioria vote nas alternativas 4 do Regulamento, que diz: "Nenhum dos projetos" ou na alternativa 5, que diz: "Permanecer lei, projeto, ou programas atuais".



A partir dessas e outras ideias, pode-se realizar o projeto de mobilidade urbana, porém, seguindo e respeitando o item 4 do Regulamento da Diretriz I da Reforma Política Brasileira(Vide revista). Ou seja, onde se buscará recursos para a ação (implantação do projeto)?



EMITIR OPINIÃO AMISTOSAMENTE:



No caso do alargamento das calçadas e reconstrução das calçadas já existentes, a Democracia do Povo tem um projeto, que se o leitor desejar elaborar o seu, seguindo a ordem citada do debate, opinião e ação, provavelmente, surgirão ideias semelhantes a estas, justas e lógicas.

Uma ideia justa e lógica para resolver o problema do item 7 do debate e intensificando os números dos itens 1 e 2, seria a inversão da tabela do IPVA: quanto mais velho o veículo, maior o valor do imposto.

– Gostei dos itens 11, 12 e 13 do Debate, e agora vou dar minha opinião: O negócio, então é parar de construir linhas de metrô e colocar ônibus nas ruas, de acordo com aquela ideia sua de o motorista ser a sua própria empresa, comprando financiado um Micro ônibus zero quilômetro no valor de 260 mil reais, cobrar a metade do preço atual da passagem, transitar por todas as ruas, sem exceção para deixar o usuário na porta de sua casa, pois o metrô e esses "onibusão" não deixam, porém estes transitariam somente pelas avenidas, em suas faixas, como se fossem linhas de metrô. Pelo menos, tanto os micro ônibus, como esses ônibus grandes não demoram 1 ano para percorrerem dois quilômetros, kkk. Não, mas falando sério: essa é uma medida muito lógica e a prefeitura e nem o estado gastariam o nosso dinheiro, podendo diminuir as alíquotas de impostos, especialmente o ICMS que é de 18%, e com esse sistema em operação, ainda os carros utilizando as vias alternativas, teríamos o melhor trânsito do mundo.

Agora pensando nas motos, surgiu uma outra ideia: poderia ser permitido transitar pelas faixas de ônibus. Desta forma os ônibus controlariam a velocidade dos motoqueiros. Eles deixariam de correr que nem loucos, os acidentes diminuiriam, a fiscalização seria mais facilitada e quem infringisse as leis do trânsito ficaria sem a moto por algum tempo, kkk.

— Isso é democracia! E não, você ser obrigado, por exemplo, a gastar o seu dinheiro para construir, reformar e manter a sua calçada em ordem para os outros pisarem. E se não o fizer ser multado.

ESCUDEIRO

TRIBÚCCIO

– Para isso existe o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e o projeto da Democracia do Povo para a construção, reforma e manutenção de todas as calçadas da cidade de São Paulo utilizará recursos do IPTU, assim como a adaptação para os quatro tipos de ruas padronizadas, utilizará os recursos do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores). Porém esses e outros impostos serão extintos, conforme projeto, justo e lógico de reforma tributária da Democracia do Povo e os seus recursos serão utilizados somente até o final da conclusão das obras, sendo que a manutenção será realizada com recursos dos dois únicos impostos citados nesse projeto. Mas, entenda, esses projetos são apenas propostas da Dedepê, que juntamente com os dos cidadãos brasileiros serão enviados às câmaras dos deputados ou dos vereadores, selecionados e votados pelo eleitor. Isso é democracia!

CAL SADÃO

TAPA BURACO

— Muito obrigada a vocês aí em baixo. Se não fossem vocês, - a Torcida do Mal - eu não existiria. Se vocês resolverem torcer para o Time do Bem, como estou vendo que alguns já passaram para o lado de cá, todos se beneficiarão de modo justo e lógico e eu me fortalecerei para que a minha herdeira seja, ainda, melhor do que eu: A Democracia Absoluta!

DEDEPÊ

ANTA GÔNICA


CAL SADÃO

CARRÃO

CATRACANDO

DEMA GOGO

DU VIDÃO

EITA LEIZINHA DA NADA

NUVAI IR


INCREDULÉO

ESTÁCIO NANDO

TAPA BURACO

MEIA BOCA

INGA NALDO

ENTULHANDO

PIORLANDO


PÔ LUISSÃO

RECLAMILDO

TATI DORA

TRIBÚCCIO

ASCENDINO LUZ

ATRAZILDA

BELDINA


BEL DINHO

BELDÃO

BELDROGA

BOCA SUJA

CARONILDO

DEUS ACUDA

DUNDÃO


EPP

ESCUDEIRO

FEDE RICO

GUARDA COSTA

INRROLANDO

IVO

KARES TIA


LIXONÉSIO

MANI BESTANTE

MANI PULANDO

MÍDIA LOCA

MOTOHABIL

MOTOREIRO

OSCAR A. PINTADA


PIDÃO

PNEL BOTAFOGO

PREVENILDO

SONEGÃO

TOINU & JAVAI

VELHO JORNAL

CASMURRA


CORROMPILDO

O. CULTO

IVO

— A melhor demonstração de que tudo no universo evolui é a instituição familiar. Antigamente, o poder era concentrado no chefe da casa que era o pai. A mãe e os filhos, não podiam escolher aquilo que desejavam ou necessitavam. O descontentamento nas decisões que o pai tomava era constante, mas, apesar desse autoritarismo, o lar se mantinha em ordem. Na atualidade mãe e filhos já tomam decisões próprias. Até criancinhas que não sabem ainda nem andar direito fazem reivindicações aos pais. O descontentamento persistiu, porém com um agravante: a desordem no lar imperou e ninguém mais se entendeu e se respeitou, pois os pais não são capazes de atender a várias solicitações de cada componente da família. Mas nas famílias de humanos, mais avançadas na evolução, existentes em milhões de outros planetas, as reivindicações já foram abolidas. O que se pode imaginariamente observar nelas é que todos os seus membros possuem iguais poderes de decisão. Eles se reúnem diante de uma determinada questão, fazem o levantamento de dados e experiências do passado, cada um emite a sua opinião baseada nesses números e fatos, todos se respeitam e tomam a decisão escolhida pela maioria.

No setor político das nações essa evolução se processa de forma semelhante. Especialmente no Brasil, dentro dos últimos 50 anos, a população experimentou um sistema de governo autoritário, como se fosse aquele pai de antigamente. Depois evoluiu para a democracia reivindicatória, que é essa que estamos vivendo até agora, devido a isso surgiram, em nossa sociedade, todos esses personagens insatisfeitos com o pai. Com os pais da política, com os pais da economia, com os pais da religião, com os pais da comunicação e com os pais da escola.

CASMURRA

— Agora sim, Ivo está tudo muito bem explicadinho. Entendi tudo. Eu represento parte dos personagens da Dedepê, por isso já falei com todos eles e estão muito propensos a avaliar a sua proposta para uma Nova Ordem Política no país, mais civilizada, mais evoluída.

DEUS ACUDA

— Ah, sim Ivo eu entendo e concordo, mas o povo ainda não está capacitado para aderir à Dedepê. "Na Terra, há seres que governam e outros que são governados". E uma boa parte desses não sabe viver sem que alguém tome as decisões por eles. Isso eu vejo claramente no meio em que eu convivo.

DEDEPÊ

— Deus Acuda, você já fez uma comparação entre a Constituição federal e a Bíblia? Você reparou que alguns políticos e parte da população tratam a Constituição como se ela fosse sagrada, igualmente como a Bíblia pelos religiosos? Você precisa estudar o livro Invista Agora em sua vida após a morte e entenderá que a Constituição e a Bíblia possuem vida. Elas não estão mortas. Elas evoluem. E tudo que evolui não pode permanecer imutável. Tem de ficar em constante movimento!

— Eu entendo perfeitamente o que você quer dizer e compreendi as palavras do autor desse livro, Zaad Serotua. Mas, como posso dizer a milhões de pessoas, que acreditam em mim, agora nessa altura do campeonato, que a Bíblia está equivocada, ou melhor, ultrapassada, e que não acompanhou o avanço da ciência e tecnologia e do comportamento humano?

DEUS ACUDA

— Se você estiver convicto disso Deus Acuda, só falta um recurso que todos os seres possuem, mas poucos usam para o bem: coragem! Você não precisa acreditar no Zaad Serotua, aliás, não deve crer em ninguém, deve estudar, investigar, raciocinar e tirar as suas próprias conclusões. Disse o pensador romano Sêneca, que viveu na época de Cristo: "Muitas coisas não ousamos empreender por parecerem difíceis; entretanto, são difíceis porque não ousamos empreendê- las".

DEDEPÊ

DEDEPÊ

— Em todas as questões da vida, todas sem exceção, em todos os setores, as pessoas poderão seguir esse modelo: "Debate, opinião e ação". A humanidade fazendo esse exercício para resolver problemas individuais e de sua comunidade e aperfeiçoar sistemas e leis sempre encontrará a justiça e a lógica nas decisões a serem tomadas, por mais que cada um, inicialmente possui uma opinião diferente sobre um determinado assunto.

— É verdade, Dedepê, o livro diz que o ser humano possui três corpos: corpo executante, corpo comunicante e corpo pensante, e que este é um planeta-escola, onde existem corpos pensantes de várias classes, divididas por níveis de inteligência. Existem também três universos: universo atômico, universo volátil e universo imaterial. Fora desse universo atômico, no universo volátil os seres que já não mais precisam viver em mundos-escola, como nós ainda estamos vivendo, são livres de todas as influências e ilusões que se apresentam nos mundos do universo atômico. "Neles os deveres têm uma só interpretação, não havendo, por isso, sofismas, modos de ver, alternativas, situações dúbias, vacilações, dúvidas ou incertezas. Dever firmado é dever cumprido". É por essa razão que, na Terra, existem tamanhas divergências de opiniões, modos próprios de pensar e agir, conceitos diversos e preconceitos de toda espécie. No entanto todos, sem exceção estão trabalhando, consciente ou inconscientemente para um pensamento único, harmônico e homogêneo a caminho da paz, tranquilidade e progresso. — A Democracia do Povo não é a salvadora da pátria, mas, um excelente meio para essa conquista.

DEUS ACUDA

RECLAMIDO

— Ah, que chato
esses outros
mundos, hein!
Ninguém reclama
da situação?

BELDROGA

— Cara, eu acho
que eu já até fui
nesses mundos,
tá ligado?

EITA LEIZINHA
DA NADA

— Sim, estou quase
assimilando. Lá as leis são
como eu deveria ser,
pretendo ser, estou dando
sinais de que serei justa e
lógica, mas ainda não sou...